A importância dos registros

A importância dos registros

Desde o período Paleolítico, há 40.000 anos a.C, a arte rupestre já era responsável pelos primeiros registros da história.

As paredes das cavernas serviram, muitas vezes, de tela para o homem pré-histórico fazer seus rabiscos sobre o dia-a-dia. Animais e pessoas compuseram esse cenário de desenhos, narrados através do sangue, saliva, argila, etc.

A evolução.

Registros em cavernas

A forma de documentar as coisas não parou de evoluir – o tempo, as necessidades e as descobertas encarregaram-se das mudanças. Diretamente ligada a isso, a comunicação também desenvolveu suas linguagens, seus símbolos.

Para chegarmos até aqui, levaram-se anos. Agora, somos globalizados, conectados com o mundo e as pessoas – podemos conhecer tudo através de alguns cliques.

Foi nesse evoluir, nessa captação de necessidades, que nossos dois softwares de gestão foram criados, o SiGA Gestão de Agências e o Sole – Gestão de tarefas.

Acompanhando as transformações das ferramentas – do papel para o computador – e o que elas poderiam nos oferecer que colocamos tudo em um só lugar.

Sim, tudo num mesmo sistema e online. Aqueles arquivos que antes se perdiam dentro das Agências Publicitárias e Escritórios de Projetos, sem informações e dados exatos, tiveram o seu fim.

Se os registros lá da pré-história são importantes para hoje entendermos quem somos e quem foram nossos antepassados, imagina os registros internos de uma empresa.

Concluindo…

Então, cada parte dos processos precisa ser anotada – desde alterações até o financeiro – para que os resultados não saiam diferentes do previsto. Ter o histórico do que aconteceu com um projeto ou um pagamento feito auxilia na gestão.

Em outras palavras: façamos como nossos ancestrais: registremos tudo o que acontece em nossa empresa, para sabermos no futuro como foi o passado!